COMO FAZER MINHA MARCA FICAR CONHECIDA?

Como fazer minha marca ficar conhecida? – Se você anda se fazendo essa pergunta, as etapas que criamos a seguir são para você:

Primeiro: vamos colocar os pingos nos is?

Você tem uma marca. Tem um negócio. E quer divulgá-lo. Antes, você deve fazer uma análise, já que a sua marca envolve desde o logotipo até seu atendimento. Todo esse conjunto (como o já citado logotipo, site, atendimento, espaço físico, embalagem de entrega, visão, missão e valores etc.) estão em sintonia enviando a mesma mensagem para o público? Se você pensar em divulgação antes de observar todo esse sistema de seus negócios, certamente você terá uma marca sem identidade, que gera confusão e não fica na cabeça do público. Conheça vastamente o seu mercado, seus concorrentes, seu público e seu comportamento, seu posicionamento, liste em um documento para traçar um bom plano de Marketing.

Gosto muito de dar o exemplo de Starbucks, que possui uma estratégia de marca incrível. Por que as pessoas pagam R$ 14,00 em um café por lá e reclamam dos R$ 3,00 pagos no café da padaria perto de casa? Porque há um trabalho incrível de marca, no qual tudo está convergindo para a mesma mensagem: vendemos a sua melhor experiência em café, a sua parada favorita. O ambiente confortável e convidativo, o atendimento personalizado, a qualidade – tudo convergindo para criar uma marca de personalidade, forte. E quando expliquei que há um sistema, enfatizo que ele é complexo: desde as cores que você utiliza em sua identidade visual (nada de usar amarelo na sacola porque é bonito, sendo que o logo é vermelho e azul!) Até a forma como será a entrega do produto.

Segundo: Plano de Marketing

Recolha as informações e crie um plano de Marketing. Ele nada mais é do que um plano de ações a serem tomadas com metas a serem atingidas, levando um objetivo em consideração – aumentar as vendas ou, por exemplo, ser reconhecido. Nele, você pode documentar:

Macroambiente: o ambiente em que a empresa está inserida, englobando a política, a economia, cultura, o jurídico, demografia e tecnologia. Qual é o impacto desses ambientes em sua empresa? Há oportunidades? Há desafios?

Microambiente: são todos os stakeholders que impactam seu negócio mais diretamente: clientes, fornecedores, concorrentes, público-alvo.

Público-alvo: quem são eles? Especificar apenas que são, por exemplo, mulheres de 18 a 28 anos, solteiras que moram na região sul não basta. Vá além: qual é o comportamento delas? O que fazem? seus hobbies? Seus desafios e,- mais importante – como o seu produto/ou serviço pode ajudá-las a solucionar essas questões? Uma dica interessante é observar a sua própria cartela de clientes para traçar esse comportamento.

Concorrência: o interessante em analisar a concorrência é para entender qual pode ser o seu diferencial. Análise o que fazem, como fazem, e como você pode fazer melhor e diferente, sempre pensando em agregar valor a seus clientes.

Recursos: quais são os recursos humanos, materiais e financeiros que você dispõe? Estipule uma verba de Marketing, determine um cronograma de ações para seus colaboradores.

Ações: quando você analisar todas as informações documentadas, perceberá que as ações de Marketing serão muito mais fáceis de serem pensadas. “Devo fazer uma divulgação no facebook? Entendi que meu público o utiliza constantemente e passa grande parte do tempo na internet, e meus concorrentes não têm campanhas sólidas online” – você conseguirá enxergar boa oportunidades para seu negócio como deste exemplo.

Sempre registre suas ações, mesmo as que tiveram resultados negativos. Isso gerará um histórico importante que enriquecerá seu conhecimento sobre os seus negócios e seu ramo, ajudando-o a aprimorar cada vez mais o seu plano de Marketing.

Se você tem dúvidas de como criar o seu plano, fale com um especialista, mesmo que seja para fazer uma análise.

Terceiro: Nurturing
Sua empresa tem uma marca sólida e há um bom plano de Marketing em ação. Está na hora de pensar no Nurturing, que é constituído de estratégias para reter os seus clientes. Pense que é muito mais fácil retê-los do que ir em busca de novos. Crie um plano dinâmico de contato , agregando valor, acompanhando, sem ser intrusivo, a utilização de seu produto ou serviço; dê apoio, complemente o uso com novos produtos. E o mais importante: nutra também os seus colaboradores! Eles são a porta de entrada dos seus negócios e, quando felizes, vão defendê-los com os olhos brilhando.